Qual é a diferença entre eletroforese em gel nativo e desnaturante

A principal diferença entre a eletroforese em gel nativo e desnaturante é que, na eletroforese em gel nativo, a biomolécula de interesse mantém sua estrutura normal ou nativa ao passar pelo gel, enquanto na eletroforese em gel desnaturante, a biomolécula de interesse não mantém sua estrutura normal ou estrutura nativa ao passar pelo gel.

A eletroforese em gel é uma técnica de laboratório para separar DNA, RNA ou proteínas de acordo com seu tamanho molecular. Na eletroforese em gel, a biomolécula de interesse é empurrada por um campo elétrico através de um gel que contém pequenos poros. Aqui, a molécula mais curta se move mais rápido do que a molécula mais longa. Isso ocorre porque a molécula mais curta migra facilmente através dos pequenos poros do gel. Essa propriedade é chamada de peneiramento molecular. A eletroforese em gel nativo e desnaturante são dois tipos diferentes de técnicas de eletroforese em gel usadas para separar biomoléculas, como DNA, RNA e proteínas.

CONTEÚDO

1. Visão geral e principal diferença
2. O que é eletroforese em gel nativa
3. O que é eletroforese em gel desnaturante
4. Semelhanças – Eletroforese em Gel Nativo e Desnaturante
5. Eletroforese em Gel Nativo vs Desnaturante em Forma de Tabela
6. Resumo – Eletroforese em Gel Nativo vs Desnaturante

O que é eletroforese em gel nativo?

Na eletroforese em gel nativo, a biomolécula (DNA, RNA ou proteína) de interesse mantém sua estrutura normal ou nativa ao percorrer o gel. Na eletroforese em gel nativo, a biomolécula é separada com base na forma e no comprimento. Portanto, nesta eletroforese, as biomoléculas são separadas com base no tamanho, forma e carga líquida de sua estrutura nativa, preservando sua função e atividade.

Figura 01: Eletroforese em Gel Nativo

Biomoléculas como DNA, RNA e proteínas normalmente têm uma carga líquida negativa. As biomoléculas com densidade de carga negativa mais alta migrarão mais rapidamente. Além disso, as biomoléculas menores terão uma força de fricção menor em comparação com as biomoléculas maiores, então elas também migrarão mais rapidamente. Como resultado disso, as biomoléculas na eletroforese em gel nativo são separadas com base em sua massa e carga.

O que é eletroforese em gel desnaturante?

Na eletroforese em gel desnaturante, a biomolécula de interesse não mantém sua estrutura normal ou nativa ao percorrer o gel. Separa biomoléculas com base no comprimento. A eletroforese em gel de desnaturação destrói a estrutura complexa das biomoléculas de modo que as moléculas se separem apenas com base em sua massa quando submetidas à eletroforese.

Figura 02: Eletroforese em Gel Desnaturante

Um exemplo comum de eletroforese em gel desnaturante é o SDS PAGE (eletroforese em gel de poliacrilamida SDS), usado para separação de proteínas. No SDS PAGE, as amostras de proteína são aquecidas a 100oC na presença de detergente aniônico como SDS (dodecil sulfato de sódio). Este agente redutor quebra as ligações dissulfeto das proteínas e destrói sua estrutura proteica quaternária. O SDS também confere uma carga negativa geral às proteínas. Este processo permite que as proteínas sejam separadas com base apenas em seu tamanho ou massa. SDS PAGE também é útil para determinar o peso molecular das proteínas.

Quais são as semelhanças entre a eletroforese em gel nativo e desnaturante?

A eletroforese em gel nativo e desnaturante são dois tipos diferentes de técnicas de eletroforese em gel usadas para separar biomoléculas, como DNA, RNA e proteínas. Ambas são técnicas laboratoriais de biologia molecular. Ambas as técnicas devem ser realizadas por técnicos qualificados. O tamanho das biomoléculas pode ser determinado usando ambas as técnicas de eletroforese em gel. Escadas moleculares são usadas para determinar os tamanhos das biomoléculas em ambas as técnicas de eletroforese em gel.

Qual é a diferença entre eletroforese em gel nativo e desnaturante?

Na eletroforese em gel nativo, a biomolécula de interesse mantém sua estrutura normal ou nativa ao percorrer o gel, enquanto na eletroforese em gel desnaturante, a biomolécula de interesse não mantém sua estrutura normal ou nativa ao percorrer o gel. Assim, esta é a principal diferença entre a eletroforese em gel nativo e desnaturante. Além disso, agentes redutores como SDS (dodecil sulfato de sódio) e DTT (ditiotreitol) não são usados ​​na eletroforese em gel nativo, enquanto agentes redutores como SDS (dodecil sulfato de sódio) e DTT (ditiotreitol) são usados ​​para desnaturação na eletroforese em gel.

O infográfico abaixo apresenta as diferenças entre a eletroforese em gel nativo e desnaturante em forma de tabela para comparação lado a lado.

Resumo – Eletroforese em Gel Nativo vs Desnaturante

A eletroforese em gel nativo e desnaturante são dois tipos diferentes de técnicas de eletroforese em gel usadas para separar biomoléculas, como ácidos nucleicos e proteínas. São técnicas de laboratório de biologia molecular comumente usadas em laboratórios modernos. No entanto, na eletroforese em gel nativo, a biomolécula de interesse mantém sua estrutura normal ou nativa ao percorrer o gel. Em contraste, na eletroforese em gel desnaturante, a biomolécula de interesse não mantém sua estrutura normal ou nativa ao percorrer o gel. Portanto, esta é a principal diferença entre a eletroforese em gel nativo e desnaturante.

Referência:

1. “Eletroforese em Gel Desnaturante.” Uma visão geral | Tópicos ScienceDirect.
2. “Gel Nativo ou Desnaturante – Qual é para você?” Advasta Inc.

Cortesia da imagem:

1. “Eletroforese em gel” Por Mckenzielower – Trabalho próprio (CC BY-SA 4.0) via Commons Wikimedia
2. “Buffers SDS-PAGE” Por Bensaccount na Wikipédia em inglês (CC POR 3.0) via Commons Wikimedia

Deixe um comentário